A lei da demanda (com diagrama)

Neste artigo, discutiremos sobre: ​​- 1. Introdução à Lei da Demanda 2. Pressupostos da Lei da Demanda 3. Exceções.

Introdução à Lei da Demanda :

A lei da demanda expressa uma relação entre a quantidade demandada e seu preço. Pode ser definido nas palavras de Marshall como "a quantidade demandada aumenta com uma queda no preço e diminui com um aumento no preço". Assim, expressa uma relação inversa entre preço e demanda. A lei refere-se à direção em que a quantidade demandada muda com a mudança de preço.

Na figura, ele é representado pela inclinação da curva de demanda, que normalmente é negativa em todo o seu comprimento. A relação inversa entre preço e demanda é baseada em outras coisas que permanecem iguais. Esta frase aponta para certas suposições importantes nas quais esta lei se baseia.

Pressupostos da Lei da Demanda:

Essas premissas são:

(i) Não há mudança nos gostos e preferências do consumidor;

(ii) a renda do consumidor permanece constante;

(iii) Não há mudança na alfândega;

(iv) A mercadoria a ser utilizada não deve conferir distinção ao consumidor;

(v) não deve haver substitutos da mercadoria;

(vi) não deve haver alteração nos preços de outros produtos;

(vii) Não deve haver possibilidade de alteração no preço do produto em uso;

(viii) Não deve haver nenhuma alteração na qualidade do produto; e

(ix) Os hábitos dos consumidores devem permanecer inalterados. Dadas essas condições, a lei da demanda opera. Se houver alterações, mesmo em uma dessas condições, ele irá parar de funcionar.

Dadas essas premissas, a lei da demanda é explicada nos termos da Tabela 3 e da Figura 7.

A tabela acima mostra que quando o preço da laranja, digamos, é Rs. 5 por unidade, são necessárias 100 unidades. Se o preço cair para Rs.4, a demanda aumenta para 200 unidades. Da mesma forma, quando o preço cai para Re.1, a demanda aumenta para 600 unidades. Pelo contrário, à medida que o preço aumenta de Re. 1, a demanda continua a diminuir de 600 unidades.

Na figura, o ponto P da curva de demanda DD 1 mostra a demanda por 100 unidades nos Rs. 5. Como o preço cai para Rs. 4, Rs. 3, Rs. 2 e Re. 1, a demanda aumenta para 200, 300, 400 e 600 unidades, respectivamente. Isso fica claro nos pontos Q, R, S e T. Assim, a curva de demanda DD 1 mostra aumento na demanda de laranja quando seu preço cai. Isso indica a relação inversa entre preço e demanda.

Exceções à lei da demanda:

Em certos casos, a curva de demanda se inclina da esquerda para a direita, ou seja, tem uma inclinação positiva. Sob certas circunstâncias, os consumidores compram mais quando o preço de uma mercadoria aumenta e menos quando o preço cai, como mostra a curva D na Figura 8. Muitas causas são atribuídas a uma curva de demanda em declive ascendente.

(i) Guerra:

Se a escassez é temida em antecipação à guerra, as pessoas podem começar a comprar para construir estoques ou para acumular, mesmo quando o preço aumenta.

(ii) Depressão:

Durante uma depressão, os preços das commodities são muito baixos e a demanda por elas também é menor. Isso ocorre devido à falta de poder de compra junto aos consumidores.

iii) Paradoxo de Giffen:

Se uma mercadoria é uma necessidade da vida como o trigo e seu preço sobe, os consumidores são forçados a reduzir o consumo de alimentos mais caros, como carne e peixe, e o trigo ainda é o alimento mais barato que consumirá mais. O exemplo marshalliano é aplicável às economias desenvolvidas.

No caso de uma economia subdesenvolvida, com a queda no preço de uma mercadoria inferior como o milho, os consumidores começarão a consumir mais mercadoria superior como o trigo. Como resultado, a demanda por milho cairá. Isso é o que Marshall chamou de Paradoxo de Giffen, que faz com que a curva de demanda tenha uma inclinação positiva.

(iv) Efeito de demonstração:

Se os consumidores são afetados pelo princípio do consumo conspícuo ou pelo efeito demonstração, eles desejam comprar mais daquelas mercadorias que conferem distinção ao possuidor quando seus preços subirem. Por outro lado, com a queda nos preços desses artigos, sua demanda cai, como é o caso dos diamantes.

(v) Efeito de ignorância:

Os consumidores compram mais por um preço mais alto, sob a influência do "efeito ignorância", onde uma mercadoria pode ser confundida com outra mercadoria, devido a embalagem enganosa, etiqueta etc.

vi) especulação:

Marshall menciona a especulação como uma das exceções importantes à curva de demanda em declive descendente. Segundo ele, a lei da demanda não se aplica à demanda em uma campanha entre grupos de especuladores. Quando um grupo descarrega uma grande quantidade de uma coisa no mercado, o preço cai e o outro grupo começa a comprá-lo. Quando eleva o preço da coisa, organiza a venda de uma grande quantidade silenciosamente. Assim, quando o preço aumenta, a demanda também aumenta.

(vii) Necessidades da Vida:

Normalmente, a lei da demanda não se aplica às necessidades da vida, como alimentos, roupas, etc. Mesmo o preço desses bens aumenta, o consumidor não reduz sua demanda. Em vez disso, ele os compra até os preços desses bens aumentam frequentemente, reduzindo a demanda por bens confortáveis. Essa também é uma razão pela qual a curva de demanda se inclina para cima para a direita.

 

Deixe O Seu Comentário