O que é curva de possibilidade de produção?

Obtenha a resposta de: O que é curva de possibilidade de produção?

Como as necessidades humanas são ilimitadas e os meios para satisfazê-las são limitadas, toda sociedade enfrenta o problema fundamental de escolher e alocar seus recursos escassos entre usos alternativos. A curva ou fronteira de possibilidade de produção é uma ferramenta analítica usada para ilustrar e explicar esse problema de escolha.

A curva de possibilidade de produção é baseada nas seguintes premissas:

(1) Apenas dois bens X (bens de consumo) e Y (bens de capital) são produzidos em proporções diferentes na economia.

(2) Os mesmos recursos podem ser usados ​​para produzir um ou ambos os dois bens e podem ser trocados livremente entre eles.

(3) Os suprimentos de fatores são fixos. Mas eles podem ser realocados para a produção dos dois bens dentro de limites.

(4) As técnicas de produção são dadas e constantes.

(5) Os recursos da economia são totalmente empregados e tecnicamente eficientes.

(6) O período de tempo é curto.

Explicação:

Dadas essas premissas, construímos um cronograma hipotético de possibilidades de produção dessa economia na Tabela 6.1.

Nesse cronograma, P e P 1 são essas possibilidades nas quais a economia pode produzir 250 unidades de Y ou 250 unidades de X com determinadas quantidades de fatores. Mas a suposição é que a economia deve produzir ambos os bens. Existem muitas possibilidades para produzir os dois produtos. Tais possibilidades são В, С e D.

A economia pode produzir 100 unidades de X e 230 unidades de Y na possibilidade B; 150 unidades de X e 200 unidades de Y na possibilidade C; e 200 unidades de X e 150 unidades de Y na possibilidade D. O cronograma de possibilidades de produção mostra que, quando a economia produz mais unidades de X, produz menos unidades de Y sucessivamente.

Em outras palavras, a economia retira as quantidades de fatores fornecidas da produção de Y e as utiliza na produção de mais de X. Por exemplo, para alcançar a possibilidade С de B, a economia produz 50 unidades a mais de X e sacrifica 30 unidades de Y; enquanto na possibilidade D para as mesmas unidades de X, sacrifica 50 unidades de y.

A Tabela 1 é representada esquematicamente na Figura 2. As unidades do bem X são medidas horizontalmente e a do Y no eixo vertical. A curva côncava PP representa as várias combinações possíveis dos dois produtos, P, Â, C, D e P. Essa é a curva de possibilidade de produção que também é conhecida como curva de transformação ou fronteira de possibilidade de produção.

Cada curva de possibilidade de produção é o local das combinações de produto que podem ser obtidas a partir de quantidades dadas de fatores ou entradas.

Essa curva não apenas mostra as possibilidades de produção, mas também a taxa de transformação de um produto no outro quando a economia se move de um ponto de possibilidade para o outro. A taxa de transformação em uma curva de possibilidade de produção aumenta à medida que passamos do ponto  para С e para D.

A curva de possibilidade de produção mostra ainda que, quando a sociedade passa do ponto de possibilidade B para С ou D, transfere recursos da produção do bem Y para a produção do bem X.

Como colocado por Samuelson:

“Uma economia de pleno emprego deve sempre, ao produzir um bem, desistir de algo de outro. Substituição é a lei da vida em uma economia de pleno emprego. A fronteira das possibilidades de produção representa o cardápio de escolhas da sociedade. ”É o que McConnell chama de 'mix ótimo de produtos' de uma sociedade.

Novamente, todas as combinações de possibilidades na curva de possibilidade de produção (como В, С e D) mostram as combinações dos dois bens que podem ser produzidos pelos recursos e tecnologia existentes na sociedade. Dizem que essas combinações são "tecnologicamente eficientes".

Qualquer combinação dentro da curva de possibilidade de produção, como R na Figura 2, implica que a sociedade não está usando totalmente seus recursos existentes. Diz-se que essa combinação é "tecnologicamente ineficiente". Qualquer combinação fora da fronteira de possibilidades de produção, como K, implica que a economia não possui recursos suficientes para produzir essa combinação.

Diz-se que é "tecnologicamente inviável ou inatingível".

 

Deixe O Seu Comentário