Controle de Inventário: Conceito, Importância e Métodos

Neste artigo, discutiremos sobre: ​​- 1. Conceito de controle de estoque 2. Importância do controle de estoque 3. Métodos.

Conceito de Controle de Estoque :

O termo controle de estoque é usado para abranger funções bastante diferentes e relacionadas entre si apenas na medida em que ambos exigem a manutenção de registros adequados de estoque, bem como o recebimento e emissão correspondentes a essas duas funções. É interpretado como controle contábil e controle operacional.

O controle contábil dos estoques se preocupa com o registro adequado do recebimento e consumo do material, bem como com o fluxo de mercadorias através da fábrica para o estoque final e, eventualmente, para os clientes.

Preocupa-se também com a salvaguarda dos bens da empresa sob a forma de matérias-primas, trabalhos em andamento e produtos semi-acabados. O controle operacional dos estoques se preocupa em manter os estoques com o nível ideal, tendo em vista os requisitos operacionais e os recursos financeiros da empresa.

Importância do controle de estoque:

O objetivo de manter estoques é permitir que a empresa separe o processo de compra, fabricação e comercialização de seus produtos primários. Os estoques são um componente do capital de giro da empresa e, como tal, representam uma conta corrente.

Os estoques também são vistos como uma fonte de quase todo o dinheiro. O objetivo é alcançar eficiências em áreas onde os custos estão envolvidos. O controle do inventário científico resulta em redução de estoques, por um lado, e declínio substancial na escassez crítica, por outro.

No parágrafo a seguir, podemos especificar as várias importâncias resultantes da manutenção de estoques:

(i) Redução do risco de escassez de produção:

As empresas fabricam principalmente produtos com centenas de componentes. Toda a operação de produção pode ser interrompida se algum deles estiver faltando. Para evitar a escassez de matéria-prima, a empresa pode manter estoques maiores.

(ii) Redução do custo do pedido:

Quando uma empresa faz um pedido, incorre em certas despesas. Formulários diferentes devem ser preenchidos. As aprovações devem ser obtidas e as mercadorias que chegam devem ser aceitas, inspecionadas e contadas. Esses custos variam de acordo com o número de pedidos feitos. Quanto menor o estoque, menor o capital necessário para transportá-lo.

(iii) Minimizar o bloqueio de recursos financeiros:

A importância do controle de estoque é minimizar o bloqueio de recursos financeiros. Reduz a vinculação desnecessária de capital em excesso de estoques. Também melhora a posição de liquidez da empresa.

(iv) Evitando vendas perdidas:

A maioria das empresas perderia negócios sem bens em mãos. Geralmente, uma empresa deve estar preparada para entregar mercadorias sob demanda. Ao garantir a disponibilidade oportuna de suprimentos adequados de mercadorias, o controle de estoque ajuda a empresa e os consumidores.

(v) Alcançar um planejamento eficiente da produção:

O processo de fabricação pode ocorrer em tiragens de produção suficientemente longas e com cronogramas pré-planejados para alcançar eficiências e economias. Ao manter um nível razoável de programação de produção de estoque, fica mais fácil para o gerenciamento.

(vi) Ganhando descontos por quantidade:

Ao fazer compras em grandes quantidades, muitos fornecedores reduzem o preço de suprimentos e os suprimentos de componentes reduzem o preço de suprimentos e peças de componentes. Os pedidos grandes podem permitir que a empresa obtenha descontos regularmente. Esses descontos, por sua vez, reduzem o custo das mercadorias e aumentam os lucros.

(vii) Aproveitando a vantagem das flutuações de preços:

Quando os preços das matérias-primas são baixos, a empresa faz compras em lotes econômicos e mantém a continuidade das operações. Ao reduzir o custo das matérias-primas e obter preços altos para seus produtos, a empresa maximiza o lucro. Com a ajuda do controle de estoque, a empresa tira proveito das flutuações de preço.

(viii) Maré sobre as flutuações da demanda:

O controle de estoque também ajuda a empresa a controlar a flutuação da demanda. Eles são resolvidos mantendo um estoque de segurança da empresa. Estoque de segurança refere-se a estoques realizados para proteger contra variações na taxa de vendas, taxa de produção e tempo de aquisição. O controle de estoque visa manter o custo mínimo de manutenção do estoque de segurança.

(ix) Decidir o reabastecimento oportuno de estoques:

O controle de estoque resulta na manutenção dos registros necessários, o que pode ajudar a manter os estoques dentro dos limites desejados. Com a ajuda de registros adequados, a empresa pode se proteger contra roubos, desperdícios e vazamentos de estoques. Esses registros também ajudam a decidir sobre o reabastecimento oportuno dos estoques.

Métodos de Controle de Estoque:

O controle de estoque se preocupa com a revisão periódica dos materiais em estoque para detectar aqueles não necessários para a produção planejada ou para outros fins não necessários e se os materiais obsoletos continuam ocupando espaço de armazenamento até serem removidos das lojas.

Os métodos de controle de inventário nos fornecem um meio para determinar um nível ideal de inventário, bem como quanto deve ser pedido e quando. Existem vários métodos sugeridos para controles de inventário.

A seguir, estão os sistemas mais importantes usados ​​para controle de estoque:

a) Sistema ABC:

Uma empresa que usa o sistema ABC separa seu estoque em três grupos - A, B e C. Os itens 'A' são aqueles em que possui o maior investimento em rupias. Esse grupo consiste em 20% do investimento em rupias da empresa. O grupo B consiste nos itens que representam o próximo maior investimento, ou seja, o grupo B consiste em 30% dos itens que representam cerca de 8% do investimento em rupias da empresa.

O grupo C geralmente consiste em um grande número de itens, representando investimento em pequenas rupias. O grupo C consiste em aproximadamente 50% de todos os itens de estoque, mas apenas 2% do investimento em rupias da empresa.

O procedimento comum para categorizar itens em 'A', 'B' e 'C':

(i) A categorização pode ser feita comparando a porcentagem cumulativa de itens com a porcentagem acumulada do valor de uso.

(ii) Todos os itens devem ser classificados na ordem decrescente do seu valor de uso anual.

(iii) A porcentagem acumulada de itens para o número total de itens também é marcada em outra coluna.

(iv) Os totais acumulados dos valores de uso anual desses itens, juntamente com suas porcentagens em relação ao valor total de uso anual, devem ser observados ao lado.

As vantagens deste sistema estão listadas abaixo:

(i) Ajuda a alcançar o objetivo principal do controle de estoque a um custo mínimo.

(ii) Ajuda no desenvolvimento de um método científico de controle de estoques.

(iii) Dá maior controle sobre itens caros.

Limitação da análise ABC:

(i) O sistema analisa os itens de acordo com seu valor e não com sua importância no processo de produção.

(ii) A análise para ser eficaz precisa ser constantemente realizada e revisada periodicamente pela administração.

(iii) Geralmente, centenas de itens se enquadram na categoria 'C', como resultado, muito tempo é gasto no gerenciamento de inventário.

(b) Sistema de Controle Orçamentário:

O controle orçamentário é uma ferramenta de gerenciamento usada para planejar, executar e controlar as operações dos negócios. Estabelece objetivos pré-determinados e fornece a base para medir o desempenho em relação a esses objetivos. Sob esse sistema, o número de unidades dos materiais para produzir um produto acabado e o nível de estoque a ser mantido e as quantidades a serem compradas durante o período são todos pré-determinados.

Quando esses planos são projetados com antecedência, eles são chamados de orçamentos. O controle sobre estoques é exercido com base em valores orçados. Um orçamento de estoque bem-sucedido depende da previsão de vendas. O orçamento no sistema de controle tem a vantagem da coordenação no nível de consumo de estoque e no consumo esperado.

Este sistema integra e une todas as atividades da empresa desde o planejamento até o controle. O controle ajuda a eliminar ou reduzir atividades improdutivas e minimizar o desperdício. É um método eficaz de controlar as atividades da unidade de negócios, pois fornece padrões contra os quais o desempenho real é medido.

(c) Sistema mínimo-máximo:

Este é um dos métodos mais antigos usados ​​na maioria dos negócios para controlar estoques. É essencial que o controle adequado seja exercido no nível do estoque a ser mantido. O gerenciamento eficiente do estoque exige que seja evitado tanto o excesso quanto o baixo investimento em estoque.

Se níveis mais altos de estoque forem mantidos, o nível de estoque será influenciado pela obsolescência, mudança de moda e melhorias nos detalhes técnicos. Um excesso de capital associado aos estoques resulta em uma menor taxa de retorno e na possibilidade de perda substancial do declínio no valor de mercado.

Uma quantidade muito pequena provavelmente reduzirá o valor dos negócios e a manutenção adequada dos clientes. De acordo com isso, é estabelecido um nível máximo de estoque com base na demanda e no nível mínimo para evitar condições de falta de estoque para cada item de estoque. Um pedido é feito quando o nível mínimo é atingido, o que eleva a quantidade ao nível máximo.

(d) A abordagem econômica da quantidade da ordem:

A quantidade econômica do pedido (EOQ) refere-se ao tamanho ótimo do pedido que resultará no menor total de pedidos e custos de manutenção de um item de estoque, devido ao uso esperado, custo de transporte e custo normal. Ao calcular uma quantidade econômica de pedido, a empresa tenta determinar o tamanho do pedido que minimizará os custos totais de estoque.

Premissas:

(i) Demanda constante ou uniforme.

(ii) pedidos independentes.

(iii) Entrega instantânea.

(iv) Custos constantes de pedidos.

(v) Custos de transporte constantes.

(vi) Preço unitário constante.

Encontrando a quantidade econômica da ordem:

O modelo EOQ pressupõe que os produtos acabados sejam vendidos a uma taxa constante de horas extras. A decisão importante no gerenciamento de estoque é equilibrar o custo de manter estoques com o custo de fazer pedidos de reabastecimento de estoque. Quando os custos de manutenção e os pedidos são equilibrados, os custos de estoque são minimizados e a quantidade resultante da ordem é denominada quantidade econômica da ordem.

Custo total de estoque = custo de pedido + custo de transporte

Custo total do pedido = Número de pedidos x Custo por pedido

= Rs.U / Q x F

Onde

u = uso anual

Q = Quantidade pedida

f = custo fixo por pedido

Custo de transporte total = nível médio de estoque x preço por unidade x custo de transporte.

Custo de transporte total = Rs. Q / 2 x P x C

= Rs. QPC / 2

Onde

Q = Quantidade encomendada

P = Preço de compra por unidade

C = Custo de transporte.

Nível de estoque e ponto de pedido para reabastecimento:

A partir da Fig. 1., percebe-se que o nível de estoque será igual à quantidade do pedido (unidades Q) para começar. Ele desce para o nível 0 até o final do período 1. Nesse ponto, um pedido de reabastecimento será feito para as unidades Q. Em vista do lead time zero, o nível de estoque salta para Q e o mesmo procedimento segue nos períodos subseqüentes. Como resultado, o nível médio de estoque permanecerá em unidades Q / 2, a média simples dos dois pontos finais Q e Zero.

Pelo exposto, sabemos que, à medida que a quantidade de pedidos aumenta, os custos totais de pedidos diminuirão, enquanto o custo total de transporte aumentará proporcionalmente à magnitude da quantidade de pedidos.

A partir da Fig. 2, pode-se observar que a curva de custo total atinge seu mínimo no ponto de interseção entre a curva de custo do pedido e a linha de custo contábil. O valor de Q correspondente a ele será a quantidade da ordem econômica Q 0 .

 

Deixe O Seu Comentário